FTRAM solicita ao Estado celeridade nas obras do Metrô e CPTM

O coordenador da Frente Parlamentar em Prol do Transporte Metroferroviário – FTRAM, deputado estadual João Caramez, e membros da Frente participaram, dia 22/11, de audiência com o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, na sede da pasta, em São Paulo. Na pauta, discussão sobre o andamento das obras de mobilidade urbana no estado.

“Nossa luta é pela retomada de trechos parados da ferrovia paulista e celeridade nas obras nas linhas do Metrô e CPTM”, disse Caramez que comanda os trabalhos da FTRAM que luta pela implementação dos trens regionais, a renovação e o aproveitamento da malha ferroviária paulista para a prestação de novos serviços em trechos que estão abandonados, e o estabelecimento de sistemáticas ágeis, rápidas e juridicamente seguras para licenciamento de empreendimentos metroferroviários.

O secretário falou dos investimentos do Governo do Estado no setor, cerca de R$ 4,3 bilhões e informou ainda que a prioridade é terminar as obras em andamento. Explicou que contratações suplementares e processos de desapropriações são responsáveis por atrasos em obras. Sobre a Linha 4, ressaltou que o Governo do Estado vai entregar uma estação do metrô neste ano, duas no próximo ano e uma em 2019.

Sobre a Linha 5, Pelissioni informou que tem sete estações em obras. Denominada como linha da saúde, ela proporcionará o acesso a importantes complexos hospitalares ao longo dos seus 20 quilômetros de extensão. As estações AACD-Servidor, Chácara Klabin, Eucaliptos, Hospital São Paulo, Moema e Santa Cruz devem ser abertas em dezembro. Somente a estação Campo Belo, no meio da linha, ficará para 2018. “A linha 5 terá integrações com as linhas 1-Azul (na estação Santa Cruz) e 2-Verde (na Chácara Klabin) e vai oferecer aos usuários novas opções de transferências dentro do sistema, o que resultará na redistribuição da demanda de viagens. Além disso, a linha 5 também terá integração com a futura linha 17-Ouro, na estação Campo Belo”, explicou.

O andamento das obras da Linha 17- Ouro foi abordado pelos membros da FTRAM, Emiliano Afonso, da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô (Conselheiro Consultivo) e Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Diretor Adjunto), e por Emerson José Moura Cerqueira, da União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis (presidente).

Pelissioni disse que o consórcio permanece com a previsão de fazer reassentamento e readaptações. “Paraisópolis está no projeto. Precisa dar destino a 1,2 mil famílias”, citou. Entre os mais recentes trabalhos do Metrô na linha está o lançamento de uma viga-guia na região do Aeroporto de Congonhas que aconteceu dia 23/11. O trecho prioritário da linha 17-Ouro em implantação ligará o Aeroporto de Congonhas à estação Morumbi da CPTM, com 7,7 km e 8 estações. Com expectativa de entregar este trecho em 2019, a linha será uma importante ligação entre o Aeroporto de Congonhas à malha metroferroviária, passando pela região da Avenida Roberto Marinho e chegando à Marginal Pinheiros.

Caramez e membros da Frente questionara também sobre os trabalhos nas linhas da CPTM, em especial, sobre as ações nas Linhas 8, 17 e 6. O secretário disse que o Estado trabalha para deixar tudo em ordem, processos licitatórios e concessões.

Participaram da audiência Camil Eid, Instituto de Engenharia (Conselheiro Consultivo); Ana Lúcia Lopes, Revista Sobretrilhos; Antonio Maria Claret Reis de Andrade, Instituto de Engenharia; Bruno Panseri, Revista Sobretrilhos; Edson Barbeiro Artibani, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos a Jundiaí; Jean Pejo, Associação Latino Americana de Ferrovias; João Ferreira Mota, Fórum Pró-Metrô Freguesia; Kleber Silva Jr., Fórum Pró-Metrô Freguesia; Leandro Silva, Fórum Pro-Metrô Freguesia; Maria Lina Benini, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos a Jundiaí; Pedro Armante Carneiro Machado, Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô (Presidente); Vicente Abate, Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Presidente); e Gilson da Cruz Rodrigues, União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis (presidente licenciado).

Texto/ Fotos: Assessoria de Imprensa

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *