Caramez acompanha Serra na inauguração da primeira clínica pública para dependentes químicos

         O deputado estadual João Caramez acompanhou o governador José Serra na solenidade de inauguração da primeira clínica pública de internação para adolescentes dependentes de álcool e drogas, terça-feira, dia 27, no município de Cotia. O projeto é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde e o Hospital Samaritano e atenderá pacientes dos municípios da região.
         A unidade terá capacidade para atender por ano 120 adolescentes entre 14 e 18 anos, encaminhados pelas unidades de saúde, conselhos tutelares e um centro de triagem do Hospital.
         “Os jovens permanecerão três meses vivendo aqui e depois serão acompanhados durante dois anos por equipes multidisciplinares e com forte participação da família”, explicou o governador.
         Batizada de Projeto Jovem Samaritano, a clínica tem uma área física de cerca de 4 mil metros quadrados, com 30 leitos, sala de convivência para os adolescentes, sala de aula com computadores, quadra poliesportiva, horta para aulas de jardinagem, refeitório e ambulatório. 
         “Esta é uma semente que está sendo plantada para tratar de um grave problema que ninguém, independente da classe social que ocupa, está imune. Com certeza, com o empenho e dedicação do governador Serra, outras clínicas serão instaladas no Estado para atender aos jovens que necessitam de tratamento”, afirmou Caramez.
         A possibilidade de ampliação das unidades também foi destacada pelo governador que afirmou que se o projeto der certo será espalhado por todo o Estado de São Paulo. “É um projeto econômico dentro das possibilidades porque envolve internação, mas que se dirige exatamente a um dos principais problemas sociais do Brasil, que é a penetração do consumo de drogas e de álcool na adolescência”, concluiu.  Na criação da unidade foram investidos inicialmente quase R$ 1 milhão. Para a manutenção, estima-se gastos na ordem de R$ 1,7 milhão por ano.
No período de internação, os jovens terão a participação da família em algumas atividades, que é importante para a recuperação. Os pacientes também vão participar de atividades físicas, educacionais e receberão orientação vocacional. Após o período de internação, os adolescentes receberão acompanhamento de um grupo multidisciplinar durante dois anos.
O modelo da nova unidade foi baseado na Clínica Chestnut, em Illinois, nos Estados Unidos. A técnica americana incorpora a participação da família no tratamento, além das demais atividades oferecidas.  Nos EUA a recuperação supera os 70%.
Serra discursa durante inauguração de Clínica, em Cotia

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.