Deputado participa de eleição de nova diretoria do Consórcio Tietê – Paraná

O deputado estadual João Caramez (PSDB), como coordenador da Frente Parlamentar das Hidrovias na Assembleia Legislativa, participou no dia 15, no Palácio dos Bandeirantes, da eleição da nova diretoria do Consórcio Tietê-Paraná. O ex-prefeito de Jaú e atual presidente do Consórcio, João Sanzovo Neto, fez a abertura dos trabalhos. José Carlos Mello Teixeira, prefeito de Barra Bonita, foi aclamado em chapa única como novo presidente. O evento contou ainda com uma passagem rápida do governador José Serra para cumprimentar os prefeitos e com a participação do Secretário Chefe da Civil, Aloysio Nunes Ferreira Filho.
 
O atual desafio do Consórcio, que reúne 66 cidades ribeirinhas, é ajudar o governo a colocar em prática um projeto que pode transformar o sistema de transporte de cargas no estado de São Paulo: o Hidroanel, que deverá ser o elo entre a ferrovia e a rodovia. O projeto prevê o prolongamento da hidrovia entre Conchas e Salto, onde já existe a intermodalidade com o Ferroanel. Há a disposição do governo estadual em ligar a hidrovia, a ferrovia e a rodovia de Salto até São Paulo, chegando até o porto de Santos.
 
Para Caramez, a proposta do hidroanel vem ao encontro das conclusões apresentadas pelos integrantes da Frente Parlamentar das Hidrovias, que há quase três anos têm se reunido, sob a sua coordenação, para encontrar formas de implementar os usos múltiplos da hidrovia Tietê-Paraná. “A Frente tem o objetivo de colaborar e contribuir com o governo. O mundo pede urgência na mudança do comportamento da sociedade para combater o aquecimento global. Por isso, temos de ampliar os usos da hidrovia porque este é o modal menos poluente e com mais capacidade energética”, disse o deputado.
 
José Serra disse aos presentes que até o final de seu mandato, espera ter conseguido realizar boa parte das obras para a implantação da primeira fase do Hidroanel. “Com o prolongamento da hidrovia até Salto, poderemos dar início ao transporte de cargas até o porto de Santos, com um custo muito menor para o empresário do interior. Isso deve representar um crescimento imediato na produção e também na geração de empregos”.
Caramez, João Sanzovo, Aloysio Nunes Ferreira Filho e João Carlos Mello Teixeira

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.