Frente Parlamentar das Hidrovias entrega relatório a Vaz de Lima

           O deputado João Caramez entregou nesta quinta-feira ao presidente da Assembléia Legislativa, deputado Vaz de Lima, o relatório da Frente Parlamentar das Hidrovias contendo um balanço do setor e sugestões para dinamizar esse importante modal de transporte que tem no Estado de São Paulo mais de 4 mil quilômetros de rios navegáveis e potencialmente navegáveis.
           O trabalho será encaminhado aos secretários de Transporte, Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Energia e Saneamento em solenidade que reunirá também representantes de entidades ligadas ao setor. O evento ainda não tem data definida.
           Quando a Frente foi lançada, em 2006, o deputado João Caramez afirmou que o objetivo da iniciativa “era se constituir em importante fórum de debates e de mobilização por meio do qual a Assembléia Legislativa de São Paulo, em conjunto com representantes da sociedade civil, possa empreender gestões para o melhor aproveitamento das hidrovias”.
           As pautas das reuniões cobriram temas como o Sistema Hidroviário Paulista, Comparação com outros Modais, Regulação, Tributação e Meio Ambiente e Institucionalização do Órgão Gestor das Rodovias.

Foram constituídos quatro grupos de trabalho:
 
Logística – com o objetivo de apontar as perspectivas da intermodalidade e verificar os potenciais de integração do sistema hidroviário aos modais rodoviário e ferroviário;
Institucionalização do órgão gestor das hidrovias – com a missão de agilizar o projeto, em tramitação no Executivo, que transforma o Departamento Hidroviário em autarquia;
Regulação, Política Tributária e Política Ambiental – com o objetivo de subsidiar o aprimoramento da legislação que disciplina as atividades relacionadas à Hidrovia em termos tributários, ambientais e regulatórios e
Divulgação – cuja missão é comunicar a importância das hidrovias para que o tema seja incluído nas principais pautas do cenário nacional.
 
           Estudos desenvolvidos pelos grupos de trabalho indicam o grande potencial das hidrovias, seu baixo custo e as vantagens de baixo impacto ambiental.
          Comparativo mostra que a Hidrovia Tietê-Paraná transporta, 4 milhões de toneladas por ano de um total de 28,8 milhões de toneladas transportadas por esse modal em todo o Brasil. Nos Estados Unidos, só a Hidrovia do rio Tennessee transporta por ano 58 milhões de toneladas.
          Também em relação aos custos de infra-estrutura, a rodovia leva vantagem sobre os outros modais de transporte. O custo médio por quilômetro da rodovia é de 440 mil dólares, o da ferrovia é de 1 milhão e 400 mil dólares enquanto o quilômetro de hidrovia sai por 34 mil dólares.
          Segundo o deputado Caramez, o relatório entregue ao presidente Vaz de Lima “é o ponto de partida para as ações que a Frente Parlamentar das Hidrovias deve empreender para tornar efetivas as ações propostas, seja de competência da Assembléia Legislativa ou do Governo do Estado, seja no âmbito da União ou dos municípios”.
 

no centro, o presidente da Assembléia Legislativa Vaz de Lima e o deputado João Caramez (dir.)

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.