TRABALHADORES NA FRENTE CONTRA A CPMF

            Representantes de vários sindicatos de trabalhadores participaram hoje (11/9) da reunião da Frente Parlamentar Contra a CPMF e pela Redução da Carga Tributária, coordenada pelo deputado João Caramez.

            Na abertura, Caramez informou que um grupo representando entidades que apóiam a campanha contra a CPMF estava em Brasília levando para o Congresso um abaixo-assinado com mais de 1 milhão de assinaturas e procurando sensibilizar os deputados a votarem contra a prorrogação do tributo.

            Caramez lembrou que no último dia 31, a Frente coletou mais de 5 mil assinaturas no centro de São Paulo, “mostrando que o movimento não é da avenida Paulista, mas de todas as avenidas, de todas as ruas, de todas as vielas, do Brasil inteiro”.

            “A batalha na Câmara é difícil, pois precisamos de 213 votos, mas no Senado temos grande esperança de vitória já que são necessários apenas 33 votos para que a nossa proposta saia vitoriosa. Como o PSDB fechou questão contra a prorrogação, há grandes possibilidades de derrotarmos a proposta que pretende mais quatro anos desse tributo injusto”, explicou Caramez.

            O representante do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis- SESCOM – convidou todos a participarem de Ato Público Contra a CPMF, programados para esta quarta-feira, (12), na sede da entidade, Av. Tiradentes, 960. E o presidente do SINDFICOT – Sindicato dos Fiscais dos Transportes Rodoviários do Estado de São Paulo – informou que a categoria tem reunião marcada também para esta quarta-feira para decidir uma série de ações pelo fim do tributo.

            Além do SESCOM e do SINDFICOT, participaram da reunião representantes do Sindicato do Transporte Intermunicipal, Sindicato dos Condutores em Transportes Rodoviários de Cargas Próprias, Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários, Sindicato dos Motoboys, Associação Brasileira de Professores Universitários e do SIMES – Sistema Médico Sindical.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.